Como o jornal Manaus nas Entrelinhas mudou a história Amazonense

Newspaper

Nas últimas décadas, o hábito do consumo de informação mudou muito. Cada vez mais as pessoas não têm se importado com a forma que a notícia é apresentada, mas, sim, apenas qual é a informação.

Claro que não podemos deixar de pontuar que o jornal impresso ainda é uma coisa que permanece inabalável. O Amazonas é o terceiro estado com o maior número de leitores de jornal impresso do país, de acordo com a pesquisa PBM 2015.

Estes dados mostram que os amazonenses gostam bastante de notícias, não é mesmo?

É isso que o jornal Manaus nas Entrelinhas veio trazer para a vida da população: a informação para todos os gostos. Além de muito credibilidade, claro.

Conheça melhor a publicação que mudou a história Amazonense.

Conteúdo não falta no jornal Manaus nas Entrelinhas

Com colunas especializadas em política, por exemplo, o jornal Manaus nas Entrelinhas trouxe ao amazonense a oportunidade de se aprofundar no assunto e até mesmo a possibilidade do leitor expressar a sua opinião nas redes sociais.

A sua prestação de serviço do jornal mudou a história Amazonense. Entre as matérias que merecem destaque está a entrevista com a psicóloga Cecy Calacina, que falou sobre a Psicopatia. Mostrando aos moradores de Manaus mais detalhes sobre o perfil de uma pessoa que tem um padrão comportamental e/ou traço de personalidade, caracterizada em parte por um comportamento antissocial.

O jornal Manaus nas Entrelinhas não veio apenas para trazer conteúdos com tom mais sério, mas também para proporcionar aos amazonenses muito entretenimento e diversão, como, por exemplo, notícias sobre carnaval, esporte, concurso de miss, etc.

Além de muitas matérias e opiniões sobre todos os assuntos, o jornal Manaus nas Entrelinhas também interage bastante com os seus leitores através das redes sociais com o intuito de saber o que eles pensam sobre um determinado assunto.

Outro ponto positivo do jornal Manaus nas Entrelinhas é que ele demonstrou lutar pelos interesses do amazonense. Um grande exemplo é uma matéria sobre o setor energético de Manaus depois de um apagão que aconteceu na hora do jogo do Fluminense.

Você sabe qual é a importância de ter um jornal que fala da sua cidade?

A grande importância de ter um jornalismo regional é o vínculo que ele cria com as pessoas. E é isso que jornal Manaus nas Entrelinhas trouxe para a população.

Além disso, é uma enorme fonte de informação para as pessoas que moram naquela região, afinal, a maior parte do interesse vem da cidade ou região que você mora.

A criação de um jornal regional fomenta a participação dos indivíduos e a formação social do grupo.

Vemos a cada dia que notícias regionais só estão presentes nos grandes meios de comunicação quando se trata de catástrofes, homicídios inexplicáveis, etc. Ou seja, se você não tem uma publicação, como por exemplo, o jornal Manaus nas Entrelinhas poderá ficar sem saber assuntos importantíssimos do local onde você mora.

Conheça a origem do jornal no mundo e no Brasil!

Às vezes, estamos tão acostumados com as coisas que não paramos para pensar como elas surgiram, não é mesmo? Por isso, vamos te mostrar como tudo começou quando o assunto é: jornal.

Foi em Roma Antiga, em 59 a.C. (antes de Cristo), que aconteceu o primeiro registro de um jornal. Com o nome de Acta Diurna ele tinha a missão de divulgar para a população toda as conquistas e expansões feitas pelo imperador Júlio César.

Diferente dos exemplares que estamos acostumados hoje em dia, a publicação era feita em tábuas de pedra, que eram “publicadas” para todo a população nas principais praças das grandes cidades que faziam parte do império.

Como era um jornal feito após pedido dos políticos, dizem que não tinham informações negativas daquele governo, como por exemplo, as derrotas em batalhas.

Tempos depois, no século VIII, na China foi criado o que chamamos de “boletins de notícias” do governo. O trabalho era manual e feito em papéis e com um processo bem demorado.

A grande revolução no jornalismo aconteceu a partir do século XV, quando Johannes Gutenberg, que era alemão melhorou tecnologicamente a prensa, máquina capaz de imprimir tipos móveis em papel.

A técnica de impressão já existia na China, mas só dava possibilidade de usar gravuras. Já Gutenberg criou uma máquina que dava a possibilidade de produzir obras em grandes quantidades, inclusive livros.

Com isso, em 1609, foi publicado na Alemanha o primeiro exemplar jornalístico feito com a técnica criada por Gutenberg.

Ainda na Alemanha, em 1650, veio a ideia de ter um jornal que deveria ser publicado todos os dias, como o “Diário”.

O jornal demorou um pouco para chegar no Brasil! Foi só em 1808 que os brasileiros puderam ler a primeira publicação, a Gazeta do Rio de Janeiro, que teve as suas publicações erradas em 1822.

Comentários estão desabilitados.